sábado, 6 de junho de 2009

Desabafo

Nas duas últimas semanas, minhas pétalas quase murcharam. Primeiro, encostei meu carro no carro de um vizinho. Não foi nada de grandes proporções, mas me causou uma pequenina dor de cabeça. A sorte é que esse vizinho é boa gente, porque se fosse algum outro, estaria com um problema enorme. Pior é que meu carro já apareceu ralado nessa "bendita" garagem e só Deus sabe quem foi o causador... Como se não bastasse, outro vizinho tem me causado transtornos, pois com sua falta de bom senso e por uma lógica absurda que só ele entende, se acha no direito de ocupar uma vaga a mais na garagem do prédio. Volta e meia me deparo com o carro dele na minha vaga e isso tem me tirado muito do sério. Seguindo essa linha automobilística, recebi uma autuação de infração de trânsito por excesso de velocidade. Logo eu... Mas descobri pela data e horário que não fui eu, mas sim meu namorado, mas como ele é bastante cauteloso com esses radares eletrônicos, é claro que vou recorrer. Pode ter realmente ocorrido o fato, mas é algo questionável, por isso, não pagarei a multa assim tão facilmente.

Ontem, para completar meu inferninho astral, fui assaltada. Um malandro levou meu celular. Não vou comentar sobre muitos detalhes da cena, só digo que tentei argumentar um pouco com ele de que meu celular não tinha tanto valor, mas entre aquele celular todo descascado que nada me havia custado, já que foi a operadora telefônica que me deu, e os demais objetos que carregava em uma sacola de compras e na minha bolsa, não relutei tanto e lhe entreguei o celular. De fato, não foi uma perda tão grande, afinal, a operadora telefônica já vai mandar outro para mim, que será recebido na comodidade do meu lar. Um infeliz aquele homem. Pelo menos não houve violência física.

Continuando meu desabafo, hoje aconteceu um fato inusitado. Depois de rodar horas e horas no shopping em busca de um presente de dia dos namorados, consegui encontrar algo perfeito. Mais tarde, ao conversar com o presenteado, ouvi seu relato feliz da vida de uma aquisição que tinha feito. A felicidade dele se converteu em tristeza minha, porque, acreditem, ele tinha comprado exatamente a mesma coisa que eu tinha escolhido para ser o seu presente. Ê, sintonia... Gosto quando nossa sintonia se cruza bem, mas hoje preferia que não tivesse sido assim. Resultado, lá vou eu trocar o presente. Não resisti e revelei a (in)feliz coincidência. Ele achou super engraçado, enquanto eu nem um pouco.

Para finalizar, hoje começaria um curso novo, mas pela segunda vez seguida foi adiado. Só tive o "trabalhinho" de me deslocar até o local do curso em meio a uma série de adversidades, mas tudo bem, eu sobrevivi. Há coisas muito piores acontecendo no mundo, embora não me sirvam de consolo, mas de motivo para murchar mais ainda. Mas, eu não me renderei. Como disse no início, eu quase murchei. Quase. Ainda bem que foi quase. Daqui a pouco minhas pétalas estarão completamente abertas outra vez. Para relaxar, fui ao salão de beleza. Arrumei as madeixas e pintei as unhas de violeta.

P.S.: Em comemoração à semana do meio ambiente, um estudante bem gurizinho me abordou na rua e me deu algumas sementes de girassol. Vou plantar para ver se vingam.

5 comentários:

Patricia disse...

vejo que depois de murchar um pouco vc tornou a revigorar-se...
isso acontecesse com muitas flores... e essas são as que realmente duram!!!
talvez tenha ganhado alguns espinhos, mas quem afinal defende as flores nesse jardim louco de vida senão eles???
dizem por aí que "o que não mata engorda", bem eu não diria exatamente esta palavra(senão seria eu uma sábia...kkkkk!!), mas eu diria que a gente aprende com tudo nessa vida!
eu, vc, o vizinho e o pobre ladrão (pobre no sentido de espírito e de necessidade de algo que ele não pode ter honestamente).
taí um outro exemplo! a vaga na "bendita" garagem. isso é pra gente ver que nem todo lugar que se estaciona nessa vida é espaçoso e confortável, às vezes é insuportavelmente apertado e dificultoso, mas a gente sempre dá um jeito de estacionar!!

S* disse...

Oh linda, maus dias todos temos.

Ser assaltada deve ser horrivel, um verdadeiro pavor. Ainda bem que nao houve violencia.

Clarinhaaa disse...

gosto de presentear pessoas com sementes.
Afinal, nós plantamos aquilo que queremos.

beijos e um trevo de 4 folhas!!!

Renata Belmonte disse...

Li seu Desabafo e estou numa fase parecida. Estamos sofrendo por causa da impressão de que este mundo não tem funcionado de maneira lógica e justa. Mas é só uma fase. Eu vou entrar de férias para me distrair um pouquinho. Estou na torcida para que suas pétalas fiquem ainda mais belas.
bjs

Andréia M. G. disse...

Garotas,

Obrigada pelos comentários e pelas energias positivas.

Renata, tirar férias é tão bom... Aproveite bastante!