domingo, 10 de maio de 2009

Destino

Hoje, faz exatamente 6 anos que me formei. Que rumos tomei de lá para cá? Consegui realizar tudo que havia projetado naquela época? Não e sim. Sim e não. Talvez...

Coincidência do destino ou não, encontrei ontem em um restaurante o garçom que contratei para trabalhar na minha festa de formatura. Incrivelmente, aquele homem não só me reconheceu, como sabia o meu nome. Fiquei estupefata! Meu namorado, que presenciou a cena, chegou a pensar que o pobre garçom queria ouvir nossa conversa, pois não tirava os olhos da mesa em que estávamos e não perdia a oportunidade de se aproximar. Não nego que por um momento cheguei a pensar que conhecia aquela figura, mas foi um pensamento vago e que logo foi desfeito. Grata foi minha surpresa na saída daquele restaurante, quando sem resistir à descoberta, ele revelou que me conhecia. Josué garçom. Era assim que tinha seu nome registrado em meu celular antigo. Perdi o contato depois. A riqueza de detalhes que aquele garçom revelou saber da noite de minha formatura me deixou realmente impressionada. Só errou na cor do meu vestido. Mas saber meu nome foi demais.

Esse encontro me fez refletir um pouco sobre o que se passou comigo durante esses seis anos. Mudei de namorado (esse é para casar, meu Deus!). Nunca imaginei que fosse dirigir e hoje dirijo, não sou uma hábil motorista, mas enfrento a pista aos trancos e barrancos. Pensava que já teria minha casa (em breve, people...). Trabalho em um lugar no qual sequer imaginava na época. Voltei para a faculdade por amor à Literatura. Quem diria... Pinto minhas unhas de vermelho vibrante, aliás, pinto de quase todas as cores, coisa que jamais fazia antes. Ai, ai...

E vocês, que passeiam por meu jardim, já pensaram no que se passou em suas vidas nos últimos anos?
(Imagem: Google)

9 comentários:

Ju Haghverdian disse...

hehehe nossa, lembrei do meu post sobre "stop the clock".
Devo confessar que no meu caso, assim como o seu, minha vida teve um giro de 180o. Nunca imaginei estar onde estou hoje e quando por coincidencia reencontro amigos do colégio no orkut vem aquele filminho na cabeça sabe?
Lembro daquele poema do Casimiro de Abreu


Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!
Como são belos os dias
Do despontar da existência!


Saudade boa!

Sanxeri disse...

Comecei o meu curso... fiz o meu curso. E estou prestes a formar-me. Tem sido uma descoberta constante.

dora disse...

Amei Déia!!!
É sempre importante fazermos essa reflexão e apesar de muitas vezes estarmos fazendo coisas que não estavam nos nossos planos, o importante é fazermos com amor que com certeza novas surpresas chegarão, afinal ninguém quer viver na síndrome da Gabriela:eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim,gabriela...
beijos

Sem Jeito disse...

desde que acabei o curso até agora mtas coisas parecidas com as tuas:
- mudei de namorado
- comecei a pintar as unhas, coisa q detestava
- tornei-me mais confiante, segura e sinto-me mais bonita :)
- tornei me mt independente
eh pá, agora apercebo-me que a minha vida alterou-se completamente e para melhor!!!

Andréia M. G. disse...

Garotas, bom vê-las por aqui!

Ju - Esses filminhos sempre passam por minha cabeça tb. Mas confesso que não é de tudo que tenho saudades...

Sanxeri - Quando vc terminar seu curso, talvez passe por várias transformações... Eu vivo descobrindo coisas diariamente.

Dorinha - Deixo a Gabriela apenas para integrar as mulheres de Jorge Amado. kkkkkkkkkk

Sem jeito - O bom é que as mudanças foram para melhor!

Edu O. disse...

Oi Andreia, fico muito agradecido por tua visita ao blog e tua sensibilidade com meu caso. O setor do MP que procurei foi justamente este vc me disse, da promotora Silvana. Ela é prima de uma advogada, amiga minha, e foi um dos seus assistentes que fazem a triagem que me disse que não valeria a pena entrar com processoe nunca me deram um retorno sobre a situação. Encontreia-a num evento sobre inclusão e ela me disse que sabia do meu caso, que a procurasse, mas nunca a encontrei. Não entendi nada. Tentarei mais uma vez entrar em contato pelos telefones que vc me deu e te digo o resultado depois. Muito obrigado pelo apoio.

Este teu post me fez lembrar muitas conquistas que tive nesses últimos 10 anos e grandes perdas. Mas está valendo!!!!!

Edu O. disse...

Obrigado Andreia, tentarei fazer isso. bjs

Aline D'Eça disse...

Ai... Estou nessa mesma fase de resgatar os meus passos para tentar me localizar onde estou e, principalmente, para saber aonde devo ir! rsrsrs... Bjsssss

andréa disse...

Meus planos deram errado, felizmente! Desde a formatura pra cá (lá se vai uns 7 anos) venho aprendendo que a vida não cabe em modelos fixos e pré-determinados e que a graça é estar sempre em movimento. As experiências só valem a pena se nos mostram outros rumos...

Gostei do seu blog e da sua visita, seja sempre bem-vinda!

Abraço!